Por que o 5G é importante?

Tecnologia promete conexão até dez vezes mais rápida que o 4G
Por Bruno Capelas, Marcela Coelho e Bruno Romani
5GO 5G vai substituir a tecnologia 4G, usada hoje pela maior parte dos smartphones e máquinas conectadas, mas também poderá ser utilizado por dispositivos de casa, como computadores, e por aparelhos presentes em espaços públicos, como semáforos urbanos e até mesmo carros autônomos.

Além da maior velocidade de transmissão de dados, o 5G traz outra característica muito importante: a queda na latência – o tempo de resposta entre um dispositivo enviar um pedido à rede de internet e ele ser respondido. É por conta dela que muitos avanços serão permitidos por essa nova tecnologia. Veja quais são as principais mudanças e vantagens do novo sistema.

Diferença de velocidade de download e upload no 5G e no 4G

Estima-se que, em seu potencial máximo, a tecnologia 5G seja capaz de atingir velocidade de download de 10 gigabits por segundo (Gbps) – dez vezes mais do que o máximo possível de ser alcançado por uma rede 4G. Em termos práticos, isso significa que uma tarefa que demora em torno de 20 segundos no 4G – como baixar uma playlist de uma hora no Spotify – pode levar apenas 2 no 5G.

O que é latência – e como ela muda tudo

Para se ter uma boa conexão de internet, não basta apenas que ela seja veloz, mas também que tenha uma latência baixa. Latência é o termo técnico para identificar o tempo de resposta de uma rede, a partir do momento em que o usuário faz uma solicitação (como, por exemplo, acessar uma página ou baixar um arquivo). É como se fosse o tempo de reação de uma rede – da mesma forma que o cérebro humano reage a algo que vê ou sente.

Na média, a latência de uma rede 4G gira em torno de 50 milissegundos (ms). Já a latência prevista para as redes 5G é de 1 ms. Enquanto isso, o tempo médio de reação do cérebro humano para uma imagem, por exemplo, é de 10 ms.

O que o 5G vai possibilitar

Graças à sua combinação entre velocidade e latência, o 5G vai permitir avanços importantes na tecnologia. O mais evidente deles é o dos carros autônomos.

CARROS AUTÔNOMOS

Carros autonomosCarros autonomosHoje já estão sendo testados e têm algum nível de segurança – muitos deles conseguem rodar por quilômetros sem qualquer intervenção humana. Com o 5G, porém, isso pode se tornar ainda mais simples.

CIRURGIAS REMOTAS

Cirurgias remotasHoje, já é possível realizar cirurgias de forma remota, mas o tempo de latência pode fazer com que acidentes aconteçam, de forma que a prática não é recomendada. Com o 5G, isso pode mudar.

INTERNET DAS COISAS

Internet das coisasO 5G também vai beneficiar sistemas como casas conectadas e cidades inteligentes. A meta de fabricantes é de que os sensores tenham baixo consumo de energia, o que permitiria que qualquer máquina tenha um sensor.

CHAMADAS HOLOGRÁFICAS

Chamadas holograficas
Hoje, falar com um amigo por vídeo, via Skype ou WhatsApp é algo corriqueiro. Mas isso pode ir além com o 5G.

STREAMING DE JOGOS

Streaming de jogos
Para os fãs de games, uma boa novidade do 5G é o fim da latência alta – ou seja, nada de morrer com o tiro do inimigo ou tomar um drible num jogo online porque sua conexão está ruim.

Vou precisar de um celular novo para usar o 5G?

Sim! Cada celular tem um componente específico para acessar a internet, chamado modem. Modems 5G estão começando a chegar aos celulares e alguns modelos já são vendidos no Brasil, com bastante variação de preços.

Atualmente, existem no Brasil cerca de 70 modelos de celulares capazes de rodar o 5G certificados e homologados pela Anatel. Até o fim do ano passado, eram apenas 40. A Samsung tem 25 modelos, dos mais básicos aos topo de linha, o que significa que os preços variam entre R$ 1,6 mil e mais de R$ 10 mil. A Motorola tem cerca de 14 modelos 5G, que são encontrados por preços entre R$ 1,6 mil a R$ 6 mil. Já os modelos da chinesa Xiaomi podem ser encontrados no varejo por preços a partir de R$ 1,9 mil. O modelo mais caro pode ser encontrado por cerca de R$ 10 mil.

As duas últimas gerações do iPhone, da Apple, também são compatíveis com o 5G. No site da marca, os modelos da geração iPhone 12 podem ser encontrados a partir de R$ 5,5 mil. Já o modelo mais caro de iPhone 13 sai por mais de R$ 10 mil. O mais novo aparelho da marca a ter suporte à tecnologia é o iPhone SE 2022, que sai a partir de R$ 4,2 mil.

Meu celular 4G continuará funcionando?

Sim! Fabio Lima, professor de engenharia de produção da FEI, explica que as redes 2G, 3G e 4G não deixarão de funcionar. “A rede 4G não vai ser desativada, assim como as redes anteriores não foram. Vai continuar funcionando”, afirma.

“Você pode perceber que, quando acessamos o 4G, em alguns momentos, percebemos que a conexão migra para a rede 3G. Ou seja, ela continua ativa. O processo vai ser o mesmo com o 4G, que vai continuar ativo. Então quem não trocar de aparelho (por um 5G) vai continuar acessando o 4G normalmente”, explica.

A internet fixa será substituída com a chegada do 5G?

Não. A internet fixa, com cabos e rede Wi-Fi, vai continuar sendo a principal conexão para uma série de aplicações domésticas. “O Wi-Fi doméstico não vai desaparecer por conta do 5G. Será como funciona hoje, em que temos o 4G, mas também continuamos tendo o Wi-Fi para aplicações domésticas”, explica Lima, da FEI.

Fonte: Estadão – Economia & Negócios


‍Gostou das dicas e quer acompanhar as novas notícias? Clique aqui e cadastre-se.